Responsabilidade Ecológica Versus Responsabilidade Social

À medida que a neve e o gelo derretem nos polos da terra, menos luz do sol é refletida de volta. Condições de tempo enlouquecidas, incluindo furacões e tornados, tornam-se mais comuns.

A vida se torna um sinistro reminiscente da história narrada na Bíblia sobre Nôach e o Dilúvio – um eco que pode ser encontrado em muitas literaturas antigas. Tal norma exige uma profunda mudança na forma como nossas instituições estão organizadas atualmente.

As decisões que afetam a vida no planeta não podem ser tomadas unilateralmente por uma empresa ou país. Se todos nós teremos que pagar pelos efeitos do aquecimento global é justo que tenhamos, pelo menos, o direito de deliberar sobre tais problemas enquanto “cidadãos do mundo”. Na era moderna, ocorre uma separação entre as diversas esferas da vida social e a preocupação com os tratamentos de resíduos e o tratamento de efluentes deve ser constante e de grande importância.

Do ponto de vista filosófico, o problema tem origem no conceito restrito de responsabilidade da moral moderna que se refere apenas às ações do indivíduo, deixando de lado as ações sistêmicas (governos, mercados, empresas, etc.), cujas decisões afetam muito mais os rumos da sociedade e da vida no planeta.

Nós nos arrependemos da extravagância, da poluição e da destruição irresponsável. Reconhecemos que os seres humanos consideram mais fácil subjugar a terra do que a si mesmos.

O livro de Ronald Higgins, The Seventh Enemy [O sétimo inimigo] é significativo a esse respeito. Os seis primeiros “inimigos” são a explosão populacional, a crise de alimentos, a escassez de recursos, a degradação ambiental, o abuso nuclear e a tecnologia científica.

Entretanto, o sétimo inimigo somos nós, nossa cegueira pessoal e inércia política à face do desafio ecológico de hoje.

Efluentes

A Eutrofização na Lagoa de Araruama e o Impacto Ambiental das Estações de Tratamento Secundário

Essa é a razão pela qual o subtítulo do livro de Ronald Higgins é “O fator humano na crise global”. A raça humana precisa de uma nova autoconsciência, uma visão nova, um renascer de suas capacidades morais e religiosas.

Mas, isso é possível? que fala do cuidado da casa comum, todos devem ouvir os gemidos da terra ouvir esses gemidos assumindo a responsabilidade de um compromisso para o cuidado.

O Brasil é o maior mercado de odontologia do mundo, e o impacto ambiental dessa atividade é enorme. Segundo a ONG ecológica Turma do Bem, as clínicas radiológicas gastam, todos os anos, 6,1 milhões de litros de reagentes químicos na revelação de radiografias e filmes.

O setor consome, ainda, papéis, tintas de impressão, plástico de filmes, pastas para documentos, entre outros materiais. A economia de 1 tonelada de papel evita o corte de 20 árvores, por isso, o movimento Eco Dentistas almeja reduzir drasticamente o consumo desses materiais como forma de economizar energia, água, e de reduzir a emissão de carbono e poluentes.

Responsabilidade Ecológica Versus Responsabilidade Social

Mais uma vez, o meio ambiente está se tornando um item importante do programa de trabalhos das cúpulas mundiais.

Porém, é mais fácil assinar tratados do que viver de maneira consistente com a boa administração do mundo de Deus. “Pensar em bioma é preciso começar pelo ambiente natural, é preciso entender que o social em que vivemos também faz parte e contribuir para que ali as relações sejam boas”, colocou.

Uma parede verde bem projetada é uma proteção natural contra impactos negativos e contribui para o prolongamento da vida útil dos edifícios. As plantas agem como uma cortina verde, as folhas formam uma estrutura de galpão e protegem a superfície.

Além disso, eles fornecem proteção contra a radiação UV, poluentes, sujeira e, assim, inibem a fadiga dos materiais. Paredes verdes podem ser uma proteção de fachada eficaz, de baixo custo, de baixo custo de manutenção e atuam também contra pichações.

A combinação de plantas, substrato e camadas de ar retidas dentro de sistemas de paredes verdes pode atuar como uma barreira de isolamento acústico.

O meio de crescimento tende a bloquear frequências de som mais baixas enquanto as plantas bloqueiam frequências mais altas. Paredes verdes contribuem para a absorção de poeira fina e purificação do ar em áreas urbanas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *